quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Estradas

O avesso jogado sobre o corso do abismo.
Olhei lá em baixo e o abismo me olhou.
Pensei no tempo que passou,
Não me arrependi.
Entre suspiros e orações,
parti para um novo rumo.

2 comentários:

  1. Lembrarás tu que as manhãs
    Acordam da tua luz fugidia
    És esperança de perdida estrela
    Quem recolhe a dor em Deus confia

    Assombração que o luar esqueceu
    Nas margens de um lago azul
    Hoje passou a voar por mim
    A última garça a caminho do sul

    Era alva como a espuma do mar
    Graciosa como mulher feliz
    Voava de encontro ao vento
    Com olhar brilhante de petiz


    Boa semana


    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  2. Porque será que os pássaros
    Cantam na partida do dia
    Porque será que um amante ausente
    Fica de alma apertada, vazia?

    Porque será que as ondas lamentam
    Em sussuros de sal no areal
    Porque será que as rezas são feitas
    Para correr para o longe o perverso mal?


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir